Biografia
personagens da nossa região.
Padre Thomaz
Religioso

Padre Thomaz, uma vida de luta e inúmeras realizações

O gaúcho Luiz Ângelo Raffainer, é pouco conhecido da população de Taboão da Serra. Mas quando falamos do Padre Thomaz essa situação se inverte. Acontece que Padre Thomaz é Luiz Ângelo Raffainer, como ele mesmo explica: "na época em que me tornei padre, era um costume eclesiástico mudar de nome". Nascido no dia 26 de outubro de 1928, em Bento Gonçalves, Padre Thomaz entrou para o seminário com 10 anos de idade.

Em 1942, chegou em São Paulo, mais precisamente em Osasco, onde terminou o ginásio. Mudou-se depois de três anos para Curitiba, onde começou a cursar Filosofia e Teologia. Outra mudança, e em 1949 foi para São Carlos terminar o curso de Teologia. Voltou para São Paulo e foi ordenado sacerdote em 28 de fevereiro de 1952.

Padre Thomaz durante missa no Santuário Santa Terezinha | Eduardo Toledo

Padre Thomaz exerceu seu primeiro ministério em Osasco, na igreja Nosso Senhor do Bonfim. As viagens marcaram sua vida, e novamente voltou para São Carlos para ser Capelão da Santa Casa de Misericórdia e professor do seminário até o início de 1957, quando regressou a sua cidade natal como missionário. Nesta época, já fazia parte do Conselho Superior da Congregação dos Padres Passionistas, e foi escolhido para representar mais de 100 padres no Conselho Geral da Congregação em Roma, na Itália.

Entre inúmeras indas e vindas, Padre Thomaz chegou em Taboão da Serra no dia quatro de junho de 1965, onde permaneceu até outubro de 1989. Foi na cidade que ele realizou sua vida sacerdotal e talvez por isso ele tenha tanto carinho por essa terra.

Quando chegou aqui, Taboão da Serra, não era uma cidade como a que conhecemos hoje. Com pouco mais de 15 mil moradores e a economia baseada na agricultura e nas olarias, a cidade só possuía uma pequena e mal acaba igreja, a Sta. Terezinha. E foi ao redor dessa pequena igreja que Taboão nasceu e cresceu.

Aos poucos Padre Thomaz foi conhecendo os bairros da cidade, a vida, os problemas, as necessidades e angústias do povo taboanense. Sempre esteve metido nas lutas e reivindicações da população mais pobre e simples.

O período mais difícil foi a época da ditadura. Várias pessoas da comunidade foram presas e torturadas. As reuniões bíblicas eram taxadas de comunistas e subversivas. Padre Thomaz foi muitas vezes intimado a comparecer na Delegacia e submetido a um questionário do Dops. O jornal o Estado de São Paulo chegou a fazer uma denuncia dizendo que "Padre Thomaz só não é mais subversivo por falta de espaço". Foi um tempo difícil e de muita tensão. Enfim, nunca houve subversão, comunismo, ou qualquer outra coisa que valha.

Padre Thomaz levou uma vida simples, levou a vida do povo. Trabalhando sempre em prol da comunidade, ajudou a construir a casa dos velhinhos no Jd Helena, entidade que cuidava, na época, de 16 pessoas idosas. Foi um leão e defendeu com unhas e dentes a construção de várias igrejas, entre elas a nova Sta. Terezinha, no centro, A Igreja São José, no Pazzini, a Igreja São João Batista, no Ouro Preto, a Igreja N. S. de Lourdes no Jd. Pedro Gonçalves, N.S. Aparecida no Jd Helena, entre outras.

Hoje, Padre Thomaz orgulha-se em dizer que existem 30 igrejas católicas em nossa cidade, bem diferente da única igreja existente quando chegou em Taboão. Modesto, afirma que não construiu nenhuma, apenas ajudou a comunidade. É claro, é claro...

 

Texto: Eduardo Toledo

oferecimento
  • publicidade
    Firme junto ao povo